Os riscos da suspensão por conta própria da medicação contínua

Private
Public

Os riscos da suspensão por conta própria da medicação contínua

Você sabia que, em média, apenas 50% dos pacientes com doenças crônicas dão continuidade ao seu tratamento? 

As doenças crônicas são aquelas que têm um curso prolongado e que muitas vezes requerem tratamento por toda a vida, como diabetes e hipertensão.

  • 000
banner

Você sabia que, em média, apenas 50% dos pacientes com doenças crônicas dão continuidade ao seu tratamento? 

 

As doenças crônicas são aquelas que têm um curso prolongado e que muitas vezes requerem tratamento por toda a vida, como diabetes e hipertensão .

 

Muitas vezes, quando não se apresentam mais os sintomas da doença, os pacientes acreditam que não precisam mais do medicamento e deixam de usá-lo. Esse é um erro muito comum cometido por portadores de doenças crônicas. 

31%

Dos pacientes não seguem sua primeira prescrição 

50%

Dos pacientes não tomam os seus medicamentos conforme indicado

1/2

Dos pacientes interrompem seus tratamentos mais cedo do que o recomendado

O grande problema é que a suspensão de medicamentos por conta própria pode ser considerado um risco à saúde, uma vez que a falta de adesão ao tratamento está diretamente relacionada a falta de eficácia das medicações e maior frequência de complicações relacionadas a essas doenças. 

Alt tag

Fique atento! Não deixe de tomar seus medicamentos por conta própria! Procure sempre a orientação do seu médico. 

Referências:

  1. Síntese de evidências para política de saúde: adesão ao tratamento medicamentoso por pacientes portadores de doenças crônicas. Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumo Estratégicos, Departamento de Ciência e Tecnologia. Brasília: Ministério da Saúde, 2016 
  2. Diretrizes para o cuidado das pessoas com doenças crônicas nas redes de atenção à saúde e nas linhas de cuidado prioritárias. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica – Brasília: Ministério da Saúde, 2013 
  3. Fischer MA, Stedman MR, Lii J, et al. Primary medication non-adherence: analysis of 195,930 electronic prescriptions. J Gen Intern Med. 2010; 25 (4): 284-290. doi: 10.1007 / s11606-010-1253-9 
  4. Organisation for Economic Co-operation and Development, 2018. Http://Www.Oecd.Org/Officialdocuments/Publicdisplaydocumentpdf/?Cote=DELSA/HEA/WD/HWP(2018)2&Doclanguage=En. OECD Health Working Paper No. 105 “Investing in medication adherence improve health outcomes and
  5. Brown MT, Bussell JK. Medication adherence: WHO cares?. Mayo Clin Proc. 2011;86(4):304-314. doi:10.4065/mcp.2010.0575 health system efficiency” Adherence to medicines for diabetes, hypertension, and hyperlipidaemia.  

Esse artigo foi útil para você?

Tratamento e prevenção
banner
Subscribe to Tratamento e prevenção

Custom Categories